Meritocracia como maior aliada nas grandes empresas

São muitos os cursos, treinamentos, capacitações e afins que um profissional atuante no mercado de trabalho participa.

Recentemente tive a oportunidade de participar de um evento chamado Nova Meritocracia ministrado por Christian Rocha Coelho, diretor na Rabbit Partnership, onde me ocorreu a reflexão do “poder da meritocracia”.

A palestra ministrada por Christian, teve como foco, as novas práticas de meritocracia intrínseca, por meio do desenvolvimento das competências e inteligência emocional, além das estratégias, com o objetivo de aumentar a autonomia da equipe de colaboradores na realização das atividades diárias. Além disso, o conteúdo também abordou orientações sobre como reconhecer e desenvolver os funcionários por meio da valorização dos seus pontos fortes, respeitando as diferenças e individualidades.

E desta forma, convido você leitor a refletir comigo e, acima de tudo, entender como muitas empresas conseguem crescer e desenvolver suas equipes de gestão e colaboradores com tanta maestria diante de um momento tão delicado e  conturbado,  de crise, desemprego e conflito mundial.

Simples!

A aplicabilidade da gestão meritocrática.

Vamos lá!

O que vem a ser MERITOCRACIA?

Conforme dicionário, trata-se de um substantivo feminino, predomínio numa sociedade, organização, grupo, ocupação, etc…daqueles que tem mais méritos (os mais trabalhadores, mais dedicados, mais bem dotados intelectualmente, etc…). Sistema de recompensa ou promoção por mérito pessoal.

Enfim, são muitas as definições, porém todas focam no mérito.

É evidente que grandes empresas de gestão reconhecem o bom profissional por suas ações, pela qualidade do seu trabalho, pela capacidade de mediação na solução de conflitos e pela capacidade de trazer soluções e não problemas.

É evidente que grandes empresas valorizam profissionais e não cargos que ocupam.

Grandes empresas valorizam pequenas ações de grandes impactos.

Valorizam a confiança, a ética, o amor com que cada profissional realiza o seu trabalho.

Valorizam espírito de equipe.

Valorizam talentos.

Valorizam garra.

Valorizam brilho nos olhos.

Mantém em sua equipe profissionais de alta performance.

Desenvolvem plano de carreira.

Capacitam e motivam equipes.

Multiplicam gestores e valorizam de fato os que fazem seu trabalho com excelência.

Trabalham com planejamento e respeito àqueles que realizam com garra o que é proposto.

Enfim, reconhecem o mérito individual para que este se transforme em exemplo inspirador e multiplicador.

Entendo que este é um momento conflitante pela força do inconsciente coletivo onde a maldade, conflitos, as discórdias, brigas por poder e nepotismo estão em alta e infelizmente muito mais potencializados.

Quando encontramos um profissional de destaque numa empresa, este tende a ser mal visto pelos demais, sendo banalizado  pelo seu brilho porque este ofusca a escuridão daquele que não está feliz consigo mesmo e consequentemente carrega esta energia e sentimento para o seu local de trabalho.

Muitas vezes, a empresa e seus gestores, sendo dominados pelo inconsciente coletivo, não conseguem perceber que é possível estar feliz no ambiente de trabalho onde poderia agir com meritocracia, enfraquecendo a equipe potencializada pela discórdia, ciumes e mal caráter daqueles que não conseguem quebrar seus paradigmas pessoais.

Será que este não é o momento de valorizarmos profissionais e não seus cargos?

É fundamental internalizarmos juízo de valor, reconhecimento e percepção de potencialidades valorizando o que cada um tem de melhor.

E  como fazer isso? Apenas com nossas ações.

É preciso entender ainda que caráter, ética e honestidade não são mais desenvolvidos na fase adulta e se há falta deste trio em um profissional, devemos ter a clareza que este não poderá mais compor o nosso quadro.

Como disse muito bem Christian Rocha Coelho: “a meritocracia não está ligada ao valor e sim no seu sentido”.

Sendo assim, o meu desejo para você profissional e leitor deste artigo, é que seja feliz verdadeiramente, que resgate de sí o verdadeiro sentido de vida, de entrega, de amor e, acima de tudo, de gratidão.

 

 

 

 

Sobre Regiane Pinheiro 12 Artigos
Regiane Pinheiro Psicóloga com especialização em gestão de pessoas nas organizações. Atuante na área da educação e orientadora vocacional.