Bruno Covas inicia sessão de quimioterapia contra câncer

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), de 39 anos, diagnosticado com um câncer localizado na região entre o esôfago e o estômago, começou na manhã desta terça-feira (29), o tratamento para combater o tumor maligno com sessões de quimioterapia no hospital Sírio-Libanês, na zona sul de São Paulo.

A primeira teve início por volta das 8 horas da manhã e foi confirmada pelo médico infectologista David Uip, que acompanha o tratamento do prefeito. No primeiro momento, o tratamento de Bruno Covas será realizado em três sessões com intervalo de 15 dias e medicações diferentes. Após esse período, Covas será reavaliado.

Rotina de trabalho

Covas decidiu despachar do hospital para manter a rotina de trabalho apesar de estar internado no Hospital Sírio-Libanês para o tratamento de câncer e de uma embolia pulmonar provocada por trombose. Ele recebe na tarde desta terça-feira (29) a visita dos secretários Executivo, de Governo e Comunicação, além do chefe de gabinete.

Exames mostraram que Covas tem um tumor maligno entre o esôfago e o estômago, com duas lesões: uma no fígado e outra nos linfonodos. O prefeito será submetido a três sessões de quimioterapia. Ao final será novamente reavaliado pela equipe médica.

Por determinação de Covas, todo o secretariado municipal se reuniu nesta manhã na sede da Prefeitura de São Paulo, para que fossem repassadas as orientações do prefeito. Uma delas é a manutenção de inaugurações e entregas de obras previstas para os próximos dias, mesmo sem a presença dele.

Às 11 horas da manhã, o ministro Alexandre de Moraes do STF (Supremo Tribunal Federal) fez uma visita ao prefeito no hospital.

Internação

O prefeito de São Paulo deu entrada no Hospital Sírio-Libanês no dia 23 de outubro para o tratamento de uma erisipela, uma infecção na pele. No dia 25, foi diagnosticado trombose venosa das veias fibulares. Exames mostraram um tromboembolismo pulmonar e foi realizado um pet scan. Este exame evidenciou o câncer. No domingo (27), o prefeito passou por uma laparoscopia diagnóstica.

De acordo com o último boletim médico, a erisipela e a trombose já estão em remissão, mas o prefeito permanece internado para controle do tromboembolismo pulmonar. Os médicos decidiram aproveitar esse período para dar início à primeira sessão de quimioterapia.

(Créditos: R7)