Palmeiras é eliminado pelo Inter da Copa do Brasil com ajuda do VAR

Foi no sufoco, com direito a gol anulado no fim e pênaltis, mas o Internacional está na semifinal da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira (17), depois de vencer o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal e também na marca da cal, por 5 a 4, a equipe gaúcha se garantiu entre as quatro melhores da competição.

O próximo adversário será o Cruzeiro, que eliminou o Atlético-MG mais cedo mesmo perdendo por 2 a 0.

O jogo

O Palmeiras começou o jogo parecendo que era ele que precisava ganhar. Logo no primeiro minuto, Gustavo Gómez quase abriu o placar após passe de Dudu. Mas foi só. Depois disso, o que se viu foi o Inter indo para cima e o time paulista se defendendo.

Aos 10 minutos, Rodrigo Moledo cabeceou, obrigando Weverton a participar da partida pela primeira vez. Aos 18, nova boa chance. Nico Lopez recebeu dentro da área e bateu para fora. Aos 26, foi a vez de Guerrero chutar cruzado, para mais uma defesa do goleiro palmeirense. No rebote, Edenílson mandou para fora.

Na marca de 40 minutos, a pressão dos gaúchos deu resultado. Edenílson recuperou a bola e tentou o chute. A bola bateu em Felipe Melo e sobrou para Patrick, que, de primeira, bateu para o gol. A bola ainda bateu em um defensor alviverde antes de encobrir Weverton.

E a festa Colorada quase durou pouco. Dois minutos mais tarde, o Palmeiras enfim voltou a atacar. Dudu puxou contra-ataque e bateu colocado. Marcelo Lomba se esticou todo para evitar o empate.

O gol no final da primeira etapa animou o Inter, que voltou do intervalo querendo ampliar o marcador. Aos 7, Rodrigo Lindoso cruzou da esquerda e Nico Lopez bateu de primeira. Weverton fez “um milagre”. No rebote, mais ima intervenção do goleiro.

Cinco minutos mais tarde, Weverton voltou a aparecer após uma cabeçada, mas a arbitragem anulou o lance pela posição irregular do zagueiro Cuesta.

E quando o jogo parecia mais morno, com os times aparentemente ficando mais cansados, aconteceu o lance mais polêmico da partida aos 35. Felipe Melo fez grande jogada individual e, supostamente, foi derrubado dentro da área. O árbitro Rafael Traci, sem titubear, marcou o pênalti.

Depois de uma longa análise dos responsáveis pelo VAR, o juiz foi chamado para rever o lance e decidiu cancelar a marcação.

E o VAR voltou a “roubar a cena” nos acréscimos. D’Alessandro bateu escanteio e Cuesta subiu mais do que a marcação para marcar o segundo, levando a torcida no Beira-Rio à loucura.

Rafael Traci novamente foi consultar as imagens e anulou o gol, alegando falta de Cuesta em Felipe Melo. D’Alessandro, que reclamou bastante e chegou a puxar o árbitro, ainda recebeu o cartão vermelho.

Após toda essa emoção, a partida foi então decidida nos pênaltis. Gustavo Gómez e Moisés perderam para o Palmeiras, enquanto Patrick perdeu para o Inter.