Ponte Preta vence Fluminense com facilidade na estreia de Eduardo Baptista

A Ponte Preta não encontrou dificuldades para vencer o Fluminense por 3 a 1, na noite deste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Borges, Fernando Bob, de pênalti, e Marlon, contra, marcaram os gols do jogo, válido pela vigésima sétima rodada do Brasileirão. Gustavo Scarpa descontou.

O Fluminense se aprofunda na crise e aumenta o jejum de vitórias – a última foi no dia 16 de agosto diante do Figueirense -, que já chega a oito rodadas. Com 34 pontos, o Tricolor estacionou nos 34 pontos e caiu para a décima segunda posição. Já a Ponte subiu para o décimo lugar com 37 pontos e fica mais perto de afastar de vez o perigo do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Goiás no sábado, no Maracanã. A Ponte visita o Atlético-PR no domingo, na Arena da Baixada. Antes do embate pelo Brasileirão, porém, o Flu tem compromisso pelas quartas de final da Copa do Brasil na quarta-feira, diante do Grêmio, também no Maracanã.

O Jogo – O duelo no Moisés Lucarelli começou com os dois times refletindo o momento que vivem no Campeonato Brasileiro. A Ponte entrou animada após vencer o Goiás fora de casa, em duelo direto entre equipes ameaçadas pelo rebaxamento, e contou com o apoio de sua vibrante torcida.

Já o Flu parecia o mesmo que na última quarta-feira tomou uma virada do Palmeiras em pleno Maracanã por 4 a 1, depois de um segundo tempo irreconhecível. Apático e errando muitos passes, o Tricolor carioca não conseguia criar jogadas de ataque.

Muito ligada em campo, a Macaca abriu o placar logo aos seis minutos. Bola roubada em sua intermediária após lateral mal cobrado pelo Flu, Felipe Azevedo recebe e enfia para Borges pelo meio da zaga. O atacante ganha na corrida, entra na área e chuta cruzado. A bola passa por Cavalieri e ainda toca na trave antes de morrer no fundo das redes.

Com o gol, a estratégia de contra-ataques rápidos de Doriva ficou ainda mais fácil. A Ponte jogava com muita tranquilidade diante de um rival inoperante, e antes que a equipe de Eduardo Baptista conseguisse sua primeira finalização, ampliou o placar.

Eram 25 jogados quando num contra-ataque em velocidade, Diego Oliveira invadiu a área pela esquerda e Renato tentou o carrinho mas acertou somente o jogador campineiro. Pênalti que o ex-tricolor Fernando Bob cobrou e fez 2 a 0 para a Ponte.

O primeiro ataque do Flu só aconteceu aos 31. Troca de passes na intermediária da Ponte e Cícero tocou para Osvaldo na esquerda. O atacante avançou e, do bico da área, cruzou pelo alto. Gustavo Scarpa apareceu pelo meio e cabeceou para trás, mas a bola saiu à direita do gol de Marcelo Lomba.

A Ponte não estava satisfeita e antes de descer para os vestiários conseguiu mais um gol, desta vez contra de Marlon. Aos 42, Diego Oliveira fez um Carnaval pela esquerda e cruzou, o zagueiro do Flu tentou cortar e mandou contra o próprio patrimônio: 3 a 0.

Na volta para o segundo tempo, só o Flu mexeu, com a entrada de Marcos Junior no lugar de Osvaldo. E os primeiros minutos até deram a impressão de que o Tricolor poderia engatar uma reação. Com um minuto de bola rolando, Gustavo Scarpa tentou o chute da entrada da área, a zaga travou e a bola voltou para ele, que viu Fred na área e tocou. O camisa nove do Flu, muito marcado, tocou de volta para Scarpa que entrava livre pelo meio e não teve trabalho para tocar no canto e descontar.

A reação do Flu, entretanto, parou por ali. O técnico Eduardo Baptista tentou outras alterações, e lançou Ronaldinho Gaúcho e Wellington Paulista nas vagas de Douglas e Scarpa, mas não conseguiu mudar o panorama da partida. A Ponte continuava tranquila e com o tempo diminuiu até o ímpeto ofensivo, já que tinha o jogo controlado. Já o Flu, continuou errando passes no ataque e não levou perigo à meta defendida por Marcelo Lomba.

A Ponte ainda teve um último lance de perigo aos 31, quando Clayson recebeu na ponta direita, entrou na área e deu um corte no marcador. Mas, na hora de concluir, mandou de canhota pela linha de fundo.

(Créditos: Gazeta Esportiva)