A Mudança como Protagonismo Social

O ano novo chegou e junto com ele, a expectativa de boas novas.

Nos deparamos criando expectativas de mudanças em nossas vidas, em nossos relacionamentos, vida pessoal, profissional, enfim.

Buscamos um ano novo com mudanças milagrosas. Idealizamos o ano que se inicia e nos despedimos do ano velho com o discurso de: “graças a Deus que este ano acabou”!

Será que é possível criarmos expectativas do novo com velhos hábitos?

É possível mudar o que está a nossa volta se o que nos rege são  pensamentos e atitudes?

Como é possível mudar o cenário se o protagonismo é o mesmo?

Velhos hábitos não constroem novas histórias.

Um novo relacionamento não necessariamente constrói uma nova história.

Um novo emprego poderá não ter como resposta o sucesso.

Um novo ano não é sinônimo de nova vida.

A vida é uma sequência e se assim não queremos, é preciso nascer a cada ano.

Então meus caros leitores, desejo para este ano que se inicia: novos pensamentos, novos hábitos, novo olhar e, acima de tudo, uma nova consciência de que o novo não vem de fora, de que é necessário arregaçar as mangas, acreditar, lutar e agir de forma diferente. Só assim é possível de fato, darmos graças a Deus que o ano velho se findou.

Que a colheita do ano que se inicia seja de muita fartura e satisfação pessoal!

E se os resultados atingidos não suprirem suas expectativas, com certeza é hora de parar, recalcular rota e seguir de maneira diferente.

Salve 2019!!!

Sobre Regiane Pinheiro 14 Artigos
Regiane Pinheiro Psicóloga com especialização em gestão de pessoas nas organizações. Atuante na área da educação e orientadora vocacional.