Lucas Lima faz golaços e Palmeiras vence Botafogo no Allianz Parque

Lucas Lima ficou apenas 45 minutos em campo, mas garantiu a vitória do Palmeiras nesta quarta-feira, diante do Botafogo, no Allianz Parque. Com golaços marcados pelo meia, o Verdão venceu o Glorioso por 2 a 0, diminuiu a distância para o líder São Paulo e fez brilhar novamente a estrela de Felipão, que mudou a equipe e apostou no camisa 20 ainda no intervalo. Sãos seis jogos sob o comando do treinador, sendo cinco vitórias, um empate e nenhum gol sofrido.

O primeiro tempo na Arena foi típico na maneira de se comportar da equipe de Luiz Felipe Scolari. Com seus titulares, o Verdão chegou a somar 64% de posse de bola e controlou jogo sem passar sustos. Ao contrário do que acontecia com os times de Cuca e Roger Machado, os mandantes não ‘abafavam’ o adversário, mas conseguiam criar oportunidades sem se expor.

Do outro lado, o Botafogo até buscava propor o jogo quando tinha a bola no pé, armado no 4-3-3, mas o meio-campo formado por três volantes e a forte marcação palestrina impediam os avanços dos alvinegros. Sem a bola, o Glorioso de Zé Ricardo se mantinha no 4-4-1-1, também sem dar espaços.

O resultado foi uma etapa inicial sem grandes emoções. O único real lance de perigo aconteceu aos 18 minutos, quando Dudu cobrou escanteio, Saulo espalmou estranho e a bola bateu no travessão, mas, no rebote, voltou nas mãos do goleiro. A pouca movimentação nos primeiros 45 minutos também se deveu à arbitragem até então confusa de Anderson Daronco.

O árbitro levou quase um minuto para autorizar uma cobrança de falta, outro para um escanteio, e no mais grave dos erros, deixou de marcar pênalti para o Palestra. Logo aos oito, Willian invadiu a área pela direita e finalizou, a bola desviou no braço aberto de Igor Rabello, e Saulo fez a defesa.

Felipão muda o time, Daronco mostra pulso firme e Lucas Lima dá show

Para o segundo tempo, Felipão abriu sua equipe e trocou Lucas Lima por Bruno Henrique. Moisés passou a jogar como volante ao lado de Felipe Melo. De início, o camisa 20 chegou a irritar a torcida com passes errados, ‘atrasando’ o jogo e cometendo até um erro infantil em jogada de escanteio, quando devolveu passe para Dudu, que havia cobrado. Antes do apito final, porém, o meia sairia de campo como herói.

Vendo o meio-campo palmeirense menos congestionado e a equipe da casa disposta a se arriscar mais, o Botafogo se lançou ao ataque. Em uma dessas investidas, Felipe Melo desarmou Moisés com um carrinho, os botafoguenses não gostaram do lance e foram tirar satisfação com o volante. O clima esquentou e foi um sinal de que a partida pegaria fogo no Allianz Parque.

Envolvido na confusão, Moisés ficou apenas mais cinco minutos em campo. Aos 25, o lateral-esquerdo deixou o braço no rosto de Dudu, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Com um a mais em campo, a pressão palestrina, que já era grande, se tornou insustentável.

Com 32 jogados, Lucas Lima fez sua primeira pintura. Da esquerda, Dudu cruzou no segundo poste e o meia pegou chute de primeira, cruzado, com a canhota, para inaugurar o marcador. A equipe de Felipão não quis saber de segurar o resultado e, três minutos depois, teve a chance de ampliar em cobrança de pênalti de Dudu, mas o camisa 7 parou em Saulo.

Mesmo assim, para coroar a atuação de gala de Lucas Lima no período que esteve em campo, e mais uma vez a estrela de Felipão, que o colocou no intervalo, o camisa 20 fechou o placar. Aos 41, o meia surpreendeu e, quando todos esperavam um cruzamento na área, cobrou falta direta e anotou um golaço.

(Créditos: Gazeta Esportiva)