Seja livre agora!

Fiquem atentos. Observem tudo o que está agora diante de vocês. Seja o que for. Um sofá? Um rádio? Uma porta de madeira? Uma parede branca? Uma cama? Uma pessoa? Cada uma dessas coisas ou pessoas te transmitem algo, e essa sensação é diferente para cada um. É importante o lugar que você esteja agora, seja qual for. Uma pequena sala de escritório? Aula de natação? No meio do trânsito, esperando no farol? Deitado na cama sem conseguir se levantar? No banho quente, ou numa cozinha fazendo o almoço?

É importante quem está com você ou no mesmo ambiente que você, nesse exato momento. Muito mais importante do que você possa imaginar. Não se trata apenas de coincidências. Tudo é energia, e para que esteja em equilíbrio é preciso um pouco de cada coisa. Se você está aonde você está nesse exato momento, é preciso que você ESTEJA, por um motivo muito maior do que você possa imaginar. Então, simplesmente esteja, com consciência, e a vida se tornará mais fácil e mágica. A partir do momento que você toma consciência disso, entende a importância de estar no presente, e então você aprende a encontrar dentro de você os melhores sentimentos possíveis, e não apenas tenta, mas aciona a sua melhor versão. 

 É importante aceitar o que você está sentindo, nesse exato momento. O que é? Raiva? Entusiasmo? Paz? Medo? Não sabe descrever? Dúvidas? Seja o que for, tem um motivo maior que por enquanto a gente desconhece, mas se existe é importante. E o que você sente, nunca é o que parece ser. É apenas uma das milhares de cascas da cebola. E essa cebola é você, certo? Você está manifestando raiva, mas na verdade se começar a se perguntar de onde ela vem, perceberá que a raiva está ao seu lado apenas pra te ajudar a liberar alguma coisa mais profunda que você não foi capaz de perceber. E quando você deixa ela fluir, você dá boas vindas à próxima casca da cebola, até chegar na origem de tudo. 

 O que nos parece viagem, é simplesmente um fato, uma realidade. Tudo o que existe externamente, fisicamente, antes existiu dentro de alguém. Tudo é energia manifestada ou reprimida. Mas, energia foi feita para ser manifestada, então se você reprime, ela dá um jeito de sair. Por bem ou por mal. Se você esconde algo, guarda só pra você, saiba que uma hora ou outra será revelado. Escolha revelar de uma forma saudável. Não tenha medo da reação das outras pessoas. Essas reações nunca são sobre você, embora pareça. É sempre sobre quem reage. 

 A parte boa, é descobrir que podemos liberar esses sentimentos reprimidos através da criatividade. Através da arte. Qualquer tipo dela. Se você pintar, mesmo não sendo um bom pintor (na sua cabeça, claro, ou no julgamento de outras pessoas, estas que não lhe interessam) vai permitir que sentimentos ocultos saiam de dentro de você, se manifestem através de você. 

Curas acontecem sem que sejamos capazes de enxergar. Se você abrir mão dos rótulos (bom ou ruim, certo ou errado, etc), abrirá a consciência e permitirá que infinitas possibilidades de milagres fluam através de você. Você só não se acha um bom cantor porque se compara com os outros, certo? Mas, se você liberar esse julgamento, e cantar com sentimento, não importa que não esteja afinado. O que vai interessar é a sua intenção, a energia por trás da ação. Você pode não ser um cantor famoso, porque talvez não nasceu com o dom da afinação, mas pode cantar com boas intenções, mesmo que seja no seu chuveiro, porque se você estiver feliz fazendo isso, vai deixar boas energias aonde quer que você cante. Acredite! 

Desapegue de grandes resultados. Desapegue dos rótulos (grande, pequeno, bonito, feio, etc) Pode lhe parecer que você ter cantado num videoke com seus amigos, se divertindo saudavelmente, não teve nenhum resultado. Te parece muito maior quando você assiste um show de um artista muito famoso, né? Nos dá a impressão de que não fazemos nada muito grandioso. Mas, você pode não estar enxergando a verdade. Você e seus amigos podem ter espalhado muito mais energia boa cantando no videokê, do que talvez aquele cantor famoso que está fazendo mais um show, e talvez até esteja cansado. 

 Não é sobre ser mais ou menos, melhor ou pior. É simplesmente sobre ser. Ser quem você é nesse exato momento. Por pior que te possa parecer, honrar o que você é, pode ter um efeito muito grandioso, mas talvez não seja possível de enxergar com os nossos olhos humanos. Talvez, se nos abrirmos para o desconhecido, conseguiremos enxergar com o nosso coração multidimensional. Pode nos parecer quase impossível, mas esqueça isso. Difícil ou fácil também é apenas um rótulo. Tudo simplesmente é. Mas, o que é, pode ser diferente para mim e para você. Você pode acessar tudo o que acreditar. Somos feitos para mais, muito mais do que estamos manifestando atualmente. 

 Você não é menos do que um Mozart. Ele simplesmente dominava composições e o piano porque amava o que fazia, e então praticava todos os dias. Ele veio para isso. Essa era a sua missão. Não se compare. Estamos todos juntos aqui, mas cada um tem a sua missão, e ela pode ser ou não diferente para cada um. O que seria de Mozart sem os ouvintes que amam apreciar o piano? O apreciadores também são extremamente importantes. Tudo o que existe é importante. Repito. Tudo o que existe só existe para que o mundo permaneça em equilíbrio. De que adiantaria uma ótima banda como Queen, se não houvessem os apreciadores? É claro que a banda precisa dos que apenas gostam de ouví-lo. 

 Ah, mas quem ouve não está fazendo nada de tão grandioso. A música é tão valiosa para quem faz, quanto para quem a escuta. Ouvir e falar tem a mesma importância. Mas, precisam ser utilizadas em equilíbrio. Tudo em equilíbrio é perfeito. Tudo o que é demais nos afasta da verdade. 

 Muitos ótimos cantores alimentam mais energias ruins do que boas. Então o certo e errado são relativos. E já que esses rótulos existem, eu diria que o certo são aqueles cantores que cantam com a alma, os pintores que pintam sentindo prazer em manifestar a sua arte. E o errado seria então os cantores que cantam apenas pelo ego, por ganância, poder, fama e dinheiro, e não pela arte em si. 

 Enquanto alimentarmos os rótulos, estaremos enfraquecendo a nossa criatividade. Já que somos seres multi-dimensionais, temos muitos dons para descobrir. Já pensou nisso? Experimente como uma criança experimenta. Não se cobre se você começar algo e não quiser mais continuar. Sentimos culpa e as vezes até incapazes, mas esqueça isso, pois até capaz e incapaz é rótulo, já que viemos todos do mesmo lugar. Todos somos. Todos podemos. Todos nós temos milhares de dons, mas não tem como serem descobertos se não tentarmos. A criança começa aula de jazz, e não gosta. Ela é sábia. Não perde seu tempo. Simplesmente assume que não quer, e começa uma nova atividade. E isso é o que de mais valioso podemos aprender com elas. Elas não sentem apego. Experimentam e são sinceras com o que gostam ou não. Aprendamos com elas, então. 

 Basta que você comece. Não pense nos resultados finais. Apenas faça um pouco do que você tem vontade. Insira nos finais de semana, uma atividade diferente. Algo simples mesmo. Brincar de massinha com seus filhos, fazer um café da tarde (daqueles que só tem na casa da vovó), assistir a chuva, pintar uma parede, escreva o que você sente (separe um caderno só para isso), desenhe, dance, cante. Tem muitos dons esperando para serem descobertos. Como vamos descobrir que temos algum dom com as mãos se nunca tentarmos acalmar alguém com estas? Como saber se temos o dom para a música, se nunca sequer tentamos tocar um instrumento? 

O importante é que você escolha fazer alguma atividade que te dê prazer, pois somente sentindo prazer surgirão resultados incríveis. Agora, se você faz algo pensando no resultado, mas não gosta de fazer o que se propôs, é certo que não dará certo. E mesmo que dê financeiramente, por um acaso, em algum momento isso não te preencherá e você sentirá um vazio. E tá tudo bem também. Se o vazio existe, ele também é importante. 

Através da criatividade encontramos o vazio e, é nesse vazio que acontece o milagre. O encontro com o seu eu superior, com o seu lado mais elevado. Você começa a ter idéias, simples muitas vezes, mas são essas que te trarão grandes resultados. A energia só precisa se mover. Exatamente como na respiração. Para o ar limpo entrar, o velho ar precisa sair. 

E por meio da criatividade, a energia encontra o espaço perfeito para se equilibrar. Você só precisar estar. Estar presente. Estar aonde está, com quem está, no lugar que está, com os sentimentos que sente agora, com as ideias que passam por você agora, com a tristeza que sente nesse momento, ou o entusiasmo para agir para uma nova direção. Entenda que tudo é simplesmente perfeito como é. Os nossos olhos e a nossa mente tenta nos enganar, nos dizendo coisas horríveis sobre tudo e todos, mas confiemos em nosso coração. 

Eu tinha muita dúvida de como seguir o coração. Confundia o amor, com os desejos mundanos que eu sentia. Mas, agora sei que as escolhas feitas através do coração nos trás paz, já as escolhas feitas pelo desejo momentâneo, nos trás culpa e logo que o entusiasmo causado pelo desejo passa, o vazio vem nos acompanhar. E enquanto continuarmos a preencher desesperadamente esses espaços vazios com novos desejos do ego, da mente, continuaremos alimentando um ciclo vicioso que somente nos afastará de entrar em contato com o algo maior que existe em nossa alma. 

Façamos as pazes com os espaços vazios, e vejamos o que nos acontece. Simples assim. Esteja. Pode ser quer você sinta vontade de chorar. Chore. Escreva cartas para as pessoas que você tem raiva, e depois queime-as. Escreva tudo o que você tem medo. Fale com o seu medo. Converse com ele. Escreva uma carta para a raiva. Pergunte à ela o que a mesma está querendo te dizer? E escreva uma resposta da raiva, para você mesmo. O que será que ela quer te dizer? Escreva tudo o que está sentindo e queime. Não estamos sozinhos nessa. Suas palavras têm energia, e elas serão transmutadas. Tudo o que é, é por um motivo maior que ainda desconhecemos. Tudo o que existe, simplesmente existe para um bem maior. 

Vamos abrir os nossos olhos. Não somos só nós. Existem milhares de espécies vivendo entre nós, em dimensões diferente. E se acionarmos a nossa melhor versão, teremos a assistência deles. Elementares, anjos, galácticos, mestres, guias, avatares, entes queridos. Estão todos entre nós. Inclusive outras versões de nós mesmos, vivendo em outras dimensões. Nós somos muito mais. Só precisamos sentir isso, enxergar com os olhos do coração. 

Vamos dar o primeiro passo, e assim as coisas vão acontecer abundantemente para todos nós. E o primeiro passo é simplesmente nos desapegarmos dos rótulos e regras sociais. Existe muito mais do que os nossos olhos podem enxergar agora. Estão prontos? Existe um mundo para ser descoberto. Existe uma conta bancária recheada para ser descoberta. Existem conexões fortes de alma te esperando para um encontro. Existe o lugar mais lindo do mundo para ser descoberto por você. Existem criações novas e incríveis para surgirem em suas idéias. Basta que você dê o primeiro passo, ficando no vazio. Fazendo as pazes com o silêncio, com o que simplesmente é. 

Pare de lutar, de se esforçar. Não precisamos mais. E se você acredita que precisa sim, a vida continuará sendo assim pra você. “Precisar” também é um rótulo. Ninguém precisa de nada, porque simplesmente somos perfeitos. Nós somos o que somos. É simples assim. Aceite e tudo será fácil. Aceite que a sua vida pode ser fácil. No começo é difícil aceitar que pode ser fácil, porque estamos há bilhões de anos condicionados a lutar pela vida, porque sempre foi tudo tão difícil, mas agora é diferente. Sabemos que existem milhares de possibilidades. Antes não enxergávamos além do que a nossa mente acreditava. E agora estamos nos libertando da mente, do ego inflado, e nos conectando ao ego amigo, equilibrado. Estamos nos conectando com o que é. E o que é, vem apenas do nosso coração, da paz, do fluxo, da verdadeira liberdade. 

E a verdadeira liberdade é fazer as pazes com o silêncio, com o desconhecido, com a criatividade. Faça as pazes com seu lado cantor, seu lado escritor, seu lado dançarino, seu lado psicólogo, pintor, biólogo, e até com o Mestre que há em você. Confundimos liberdade com ser solteiro, morar sozinho, independência financeira, sucesso, mas não. A liberdade real é de dentro pra fora. Mais uma vez, namorar é rótulo, ser solteiro é mais um rotulo, ter sucesso ou não, morar sozinho ou não, ter um carro ou não, ser rico ou pobre, tudo isso são rótulos, e eles nos separam da verdadeira liberdade. 

É claro que você pode e deve ter tudo isso, mas não confunda liberdade. Você pode sentir liberdade dentro de uma prisão, e pode se sentir numa prisão mesmo não sendo um prisioneiro. Quem nunca se sentiu perdido depois de ter conquistado a esperada liberdade? O fim de um namoro que você tanto desejou, de repente te fez sentir perdido, desorientado, mesmo você tendo escolhido terminar. Quem nunca? Estou livre, e agora? 

É aí que mora o segredo da verdadeira felicidade e a oportunidade para dar o primeiro passo para sentir a verdadeira liberdade. Ao invés de sair desesperado tentando preencher esse vazio, esse buraco, indo pra baladas, conhecendo desesperadamente pessoas para se relacionar, porque primeiro você não fica um pouco sozinho? Se relacionando com você mesmo. A gente engata um relacionamento no outro, exatamente como um alcoólatra não consegue se livrar da bebida. É um ciclo vicioso. Mas, podemos acabar com isso, se simplesmente aceitarmos esse espaço, esse vazio. É no vazio que mora o grandioso. 

Vamos libertar a nossa alma. O primeiro passo é desapegar de qualquer rótulo. Não importa se você acorda mais cedo ou mais tarde do que alguém, se você trabalha mais ou menos do que alguém. Mais ou menos é rótulo. Percebe? E nos limita. Nos separa uns dos outros. Até porque o tempo é relativo. Sabem que o tempo só existe na tridimensionalidade, certo? Se o tempo importa, quem é mais importante então: os chineses ou os brasileiros? Quem acorda mais cedo? Nós ou eles? Percebe?

E mesmo entre nós brasileiros, vamos lá. O que realmente importa não é se acordo mais cedo do que você, e sim a energia que estou depositando no mundo enquanto estou acordado. Quando percebermos isso, trabalharemos menos e ganharemos mais. Dormiremos mais, e enquanto estivermos acordados, estaremos presentes, felizes, e conectados com o que é. Até porque estaremos descansados. Mas, vamos lembrar que dormir mais, nem sempre significa estar mais descansado. Estou apenas dando exemplos. Todos nós já sentimos o cansaço depois de ter dormido muito, certo? Ou seja, não existem regras, percebe? Mas, quando estivermos alinhados, conectados com o que é, simplesmente acordaremos no momento em que o nosso corpo quiser acordar, e dormiremos quando estivermos cansados. Não precisaremos comer nos horários impostos, ou as comidas que nos disseram que faz bem. Comeremos o que o nosso corpo nos pedir, simplesmente assim. Com equilíbrio sempre. 

É boicote e controle não podermos fazer o que sentimos vontade, ainda mais se são vontades saudáveis. Se pararmos pra pensar, até o que é saudável e não saudável é relativo, é rótulo. As vezes couve pode me fazer muito bem, e te fazer muito mal. Não podemos mais deixar que as mídias controlem o que “deve” ser, certo? Nós precisamos ficar com nós mesmos e sentir o que é melhor para a nossa felicidade. Boicote e controle é prisão. A verdadeira liberdade é desapegar dos rótulos, do que você pode ou não pode. Só precisamos nos abrir pra sentir o que é melhor pra gente. O que não significa que será melhor para o outro. Não é porque deu certo comigo, que vai dar certo com o outro. 

Se todos existem, significa que somos diferentes, e viemos para diferentes missões. Não podemos julgar o diferente. Ele só não é o que você é, mas ele também é. Ele simplesmente é, assim como você é perfeito simplesmente por ser quem você é.

BRUNA PINHEIRO

 

A liberdade é o direito de agirmos de acordo com o nosso livre arbítrio, de acordo com nossa vontade. Mas será mesmo que a liberdade depende do lugar que estamos? Em nos sentirmos livres por nos desafiarmos geograficamente? Já aconteceu com você uma vontade de estar em um determinado lugar, e quando chegou lá sentiu um vazio, e se sentiu sozinho? Como se estivesse faltando alguma coisa? De ter tudo, e não ter nada. De enfrentar o mundo, terminar um relacionamento, e ainda assim, continuar se sentindo no vazio, preso e infeliz?

Será mesmo que a liberdade está em onde você está? Ou então, em agir de forma completamente desprovida de qualquer limite social, em ser imprudente? Se tivéssemos todo o dinheiro do mundo e pudéssemos estar em qualquer lugar, então seriamos livres? Ou ainda: se vivêssemos em um mundo sem regras, ou se desafiássemos todas as regras sociais, e fizéssemos tudo o que tivéssemos vontade, se pudéssemos viver intensamente, sem limites, será que realmente seriamos livres? Se imagine comendo o que você quisesse, se acordasse a qualquer hora do dia e não tivesse hora para dormir, se você se relacionasse com quem tivesse vontade, como desse vontade, se nos permitíssemos agir exatamente de encontro a todas nossas vontades mimadas e imprudentes, será que seriamos felizes? Já te adiando aqui: não. 

Mesmo tendo e vivendo o limite de nossos desejos, ainda assim não nos sentiríamos livres, ou felizes. Essa liberdade nos traria o vazio no final do dia, e acabaríamos nos perguntando o por que de tudo isso. Carregaríamos para casa a culpa de termos magoado muitos no caminho, e ainda e acima de tudo, nós mesmos. A imprudência é falta de amor próprio, vem de um desespero de tentar suprir alguma falta. Afinal, somos seres conscientes e vivemos em uma sociedade ainda com algumas regrinhas. 

Mas por que mesmo sendo “livres”, e podendo ter a escolha de nossos atos, não nos sentimos livres? E o que precisamos fazer para termos essa sensação, que para muitos é sinônimo de felicidade?

Primeiro precisamos compreender o que é a liberdade. E por que ela muda, de momento a momento, de situação a situação. Você já ouviu falar que o ser humano nunca está satisfeito? Que se ele está solteiro, sonha com um grande amor, que se está namorando, se sente preso e controlado? Se tem filhos, lembra-se com nostalgia de seus tempos de recém-casados, e se ainda não tem filhos, sofre com a expectativa da espera? Nada disso é ser livre. E por que tudo isso acontece? Porque não temos a possibilidade de sermos totalmente livres e felizes em nosso momento presente? Por que sempre queremos mais, aquilo que é impossível e o que não temos ainda?

Ser livre é o desejo de todo o ser humano. Tanto que o maior castigo da lei social, é tirar a liberdade do homem e colocá-lo numa penitenciária, é impossibilitar o ser humano, seu direito de ir e vir, e de fazer escolhas.

Para alguns, liberdade é se ver livre de responsabilidades. É a realização do que é proibido. É o desejo de ultrapassar limites. De infringir regras e leis, sejam ela sociais ou emocionais. E por isso, quando não se compreende o verdadeiro significado da liberdade, tantos marginais procuram se sentir vivos dessa forma imprudente, e que vicia, já que nunca preenche.

Mas liberdade é muito mais do que isso. Essa é uma falsa percepção de liberdade. E por isso que ela trás o vazio e sofrimento no final. A longo prazo, por essa ser uma visão distorcida da realidade, só trará mais angústia, e pior, uma prisão mental ainda maior. E é aí que eu queria chegar. A liberdade não está nem sobre um monte budista (geográfica) ou num ano sabático em busca de si ao redor do globo (temporal). Tampouco se trata de extravasar e radicalizar, seguindo apenas impulsos de um louco coração (imprudência). Ser livre é assumir escolhas. É sobre alinhar e suprir suas expectativas, por menor que elas sejam, e esta liberdade está dentro de você, de sua própria mente, que é a única coisa que pode realmente te castrar ou te censurar. Não está em culpar o outro, e em mais nenhum outro lugar. 

A liberdade não é irresponsável. Isso é imprudência, adrenalina, mas não liberdade. A liberdade não resulta em algo que te prende, que te limita, que te restringe. Ser livre é se libertar de sua mente castradora, de sua mente que tem vontades mimadas, pensamentos negativos, destruidores, ou isoladores. Liberdade é ter a oportunidade de ter escolhas conscientes, e de ter responsabilidade por suas próprias consequências. 

Ela não está nas fronteiras do mundo físico. Não somos mais livres se morarmos aqui, ou do outro lado do mundo. A dor, os medos, o vazio estará com a gente, onde quer que estejamos. É um estado de mente e espírito, não ao contrário. A liberdade vem de nossa mente, emoções, e de nosso coração. De lugares bem profundos dentro de nós, em nossa alma. Nossa consciência é livre de grades e cadeados. Quem nos restringe é a nossa mente, que coloca barreiras através do que acreditamos e pensamos. Nosso pensamento e nossas crenças são castradores. Se acreditamos que é perigoso uma mulher andar sozinha por aí a noite, se você for mulher e tiver vontade de sair, se sentirá preso, e impossibilitado. Percebe? São suas crenças que te limitam. E não algo externo. É sua mente que condiciona seus pensamentos e a forma que você entende o mundo. E não o contrário.

E não são apenas crenças, mas valores sociais, rótulos, ou seja, tudo o que você acredita como verdade, e que vêm dela. A verdadeira liberdade está dentro de nós, em nossa mente e em nossos corações. Em um momento você pode amar sua vida, seu trabalho, fazer planos para o futuro perfeito. E em outro, estar se levantando com dificuldade para mais um dia no escritório. É simplesmente você mesmo quem restringe sua liberdade, e mais do que isso, sua felicidade. 

Dentro de nós, somos totalmente livres. Não se pode controlar o que pensamos ou o que sentimos. Ninguém nunca poderá nos tirar esta liberdade de sermos quem somos, com pensamentos tristes ou alegres, bons ou ruins. Não importa onde estivermos, se vivemos um sistema político repressor que queira nos controlar. Dentro de nós somos totalmente livres, para pensarmos e sentirmos o que quisermos. Para sermos nós mesmos. Nossa capacidade de sonhar, acreditar ou imaginar está dentro de nós. Por isso, busque sua liberdade dentro de você mesmo. Busque se libertar de crenças que te restrinjam, que te limitam, e te aprisionam. Se liberte também da culpa baseada em crenças que não te fazem mais bem. Você é livre para se emocionar ao assistir a um filme, para cozinhar se tiver vontade, ou voltar para casa por um caminho mais longo e florido, se aquilo te fizer bem naquele momento (mesmo que se atrase um pouco do horário que está habituado a chegar em casa). 

É possível ser livre e casado, ser livre e ter filhos. É possível viver em linha com regras de um bom convívio social e ser livre. Porque a liberdade é sobre a integridade que você tem com quem você é. E se permitir manifestar seus pensamentos e sentimentos, sem ser julgado por isso. Ser livre é escolher pessoas confiáveis para compartilhar uma vida com você. Pessoas que te aceitem e te encorajem ser como você é, e melhor. Que dêem risada de suas piadas, e aceitem suas vontades com amorosidade. 

A liberdade não está em assumir riscos, em sair ferindo os outros por aí, em ser um solteirão sem causa, ou um inconsequente social. Está em você poder ser você mesmo. Em você fazer o que tem vontade, com orgulho disso, sem magoar o outro ou você mesmo. É ser consciente, e não gerar culpa ou um vazio dentro de você. Mas preencher o mundo com o que você tem de melhor a contribuir. Com suas qualidades e vontades. Com amor e respeito. Pois é isso o que irá preencher sua alma. 

Ser livre é ser responsável por suas ações. Somos os únicos criadores de nossa realidade, e do presente que é nossa única verdade palpável. Seja feliz e inteiro agora, e íntegro com você e com aquilo o que sente. Pare de culpar os outros pela falta de coragem de suas escolhas. Porque quando estamos alinhados ao que sentimos, estamos completos e felizes. E só assim nos sentimos livres e contribuindo com o mundo e nossa comunidade. Busque dentro de você como se libertar. Procure em você os pensamentos que estiverem te aprisionando. E se não forem pensamentos saudáveis, acolha-os, e liberte-os para uma vida mais integra e feliz. A decisão é sua. E suas escolhas e sentimentos, são os únicos que podem te limitar de sua própria liberdade. Escolha ser livre, aqui e agora.